quarta-feira, 12 de junho de 2019

Viegas

Marcos Viegas, músico e compositor, criado nas ruas da Zona Leste de SP, mais precisamente na COHAB Juscelino, em Guaianazes, desde muito cedo manifestou seu amor e interesse pela música. Em sua adolescência, samba, reggae, rock e rap fizeram a trilha sonora de momentos importantes e despertaram nele o interesse em não só ouvir, mas também escrever e cantar o que vivia e via na rua. Por sugestão de um amigo, também músico, adotou Viegas (sobrenome de sua mãe) como nome artístico. Em 2007, foi convidado a fazer parte da banda Manisfesto Coletivo, onde pôde apresentar suas primeiras letras, tocando em eventos e Festivais regionais. Pouco depois, junto a Edu Lopes, fez parte do grupo carioca a filial, como MC.

Nessa mesma época, integrou o projeto Dub Del Leste, com mais dois amigos, o DJ Diego Davi e Ivan Tchagas, com quem dividia os vocais. Em 2011 lança seu primeiro trabalho solo, o single “Brasil Multicolor”. No ano seguinte, com a chegada do EP “Viver é Acreditar”, consolida a fase solo e imprime toda sua personalidade nas letras e atitude nos palcos. Em 2016 sai o registro em forma de documentário que leva o mesmo nome do EP (“Viver é Acreditar”), com o processo da venda de mais de 20 mil CDs, no esquema “de mão em mão”, mostrando de forma autêntica e despretenciosa os desdobramentos diários da vida de um artísta independente, com suas frustrações e vitórias.

“Alquimia Sonora” (2015) como sugere o título, vem com misturas inusitadas e sonoridade marcante. Ao longo desses 10 anos de carreira, Viegas levou seu som para diversas cidades do Brasil, entre elas, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, onde pôde se apresentar em casas com nome e histórico relevantes dentro do cenário musical (Cine Joia, Tom Brasil, Estância Alto da Serra, Expresso Brasil, entre outras...) e dividiu palco com grandes nomes da cena nacional e internacional (abriu shows para O Rappa, Criolo, Emicida, Rael, Funk como Le Gusta, BNegão, Natiruts, Kymani Marley...). De 2015 para cá, lançou os singles “Too Rude”, “A Porrada Come”, “Perceba a Criação”, “Tiro Certo” e “Salve”, todos eles com clipe, sendo o último (“Salve”) em parceria com a produtora Kondzilla.
  • Single Brasil Multicolor Primeiro trabalho solo lançado em 2011
  • Ep. Viver é Acreditar, segundo trabalho lançado em 2012
  • Alquimia Sonora 1 albúm completo lançado em 2015
  • Documentário Viver é Acreditar lançado em 2016
“Salve”, música lançada recentemente pelo cantor e compositor Viegas, traz em sua essência nuances de Ragga e Dancehall, dois ‘detalhes’ que a diferencia da maioria de suas composições. O single carrega em seu título uma multiplicidade de ideias e possibilidades, que se desdobram ao longo da letra. “Salve” vem como solução, proteção, conselho, visão e o cumprimento entre irmãos (axé!). Ao lado de Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell, trio conhecido no cenário musical por produzir artistas do calibre de Iza, Ponto de Equilíbrio e Pabllo Vittar, Viegas conseguiu colocar no papel o que tem vivido e buscado em sua jornada dentro e fora da música. E não para por ai: “Salve” ganhou clipe com produção feita pela Kondzilla, produtora que possui no Youtube um dos canais com maior número de acessos do mundo!

As imagens foram gravadas em um galpão, na cidade de São Paulo. O clipe com temática voltada à cultura negra, contou com a participação de dançarinos, capoeiristas e convidados do cantor. Com atmosfera festiva, figurino impecável e coreografia que convida pra dançar, “Salve” abre os caminhos e vem para coroar a fase próspera e produtiva vivida por Viegas.
viegasoficial

 

terça-feira, 11 de junho de 2019

Verso em Versos na Casa de Cultura Campo Limpo​

Sábado, 15 de JUNHO de 2019 de 14:30 a 16:00
Local  Casa de Cultura Campo Limpo​
Rua Rua Aroldo de Azevedo, 100 - São Paulo
Ponto de referência Terminal Campo Limpo
Produção El Choq! Produções​
LINK DO EVENTO
https://www.facebook.com/events/2031175430518756/
MAIS INFORMAÇÕES
www.versoemversos.com.br

terça-feira, 4 de junho de 2019

O Planeta agradece






O PLANETA AGRADECE, ou OPA, é um projeto multidisciplinar que trabalha a reciclagem e consciência ambiental na forma de uma performance musical, oficina de reciclagem criativa e outras atividades educativas.

O projeto foi desenvolvido pela artista Amarilis Vitale Cardoso e propõe uma experiência audiovisual que estimula os 5 sentidos e desperta nas crianças e adultos a consciência sobre o planeta Terra e os seres vivos.


O MUSICAL

Com uma proposta inovadora, criativa e positiva, o musical "O Planeta Agradece” aborda temas como os 3R’s - Reduzir, Reutilizar e Reciclar, consciência com o consumo descontrolado e PREciclar (pensar antes de comprar), utilizando a música, a dança e o teatro para transmitir e despertar novas maneiras de pensar e atuar no mundo. A música é alegre e lúdica, misturando ritmos e melodias urbanas com toque tropical - brasileiro, fazendo o show atrativo para as crianças, jovens e adultos.

O projeto nasceu no idioma espanhol, e agora para a versão brasileira, a artista adaptou a obra apresentando os dois idiomas, português e espanhol, enriquecendo ainda mais o conteúdo educativo da atividade.

A personagem Tekne, uma menina de outro planeta, ensina os costumes do seu lar, um lugar que reutiliza o lixo e tenta reduzir ao máximo o consumo de produtos desnecessários. Para escutar as músicas aqui!


TRAJETÓRIA
OPA nasceu em Barcelona, Espanha, em 2010 com a ideia de Amarilis de juntar todas as disciplinas que pesquisava e trabalhava há muitos anos: a música, o teatro, as artes plásticas, o cuidado e respeito pela natureza e as atividades recreativas com crianças. Dessa mistura surgiu O PLANETA

AGRADECE!
Na Espanha se apresentou em diversos festivais como: Pulgas Mix Festival de Cultura en Acción; Piknic Electronik; Museo Nacional de la Energía em Ponferrada; NIU espai artistic contemporani e na Bélgica no Iris Feest, até o ano de 2013.

Em 2015 em Medellín, Colômbia, Amarilis retomou o projeto e consolidou as atividades como o musical e as oficinas de reciclagem criativa (através de um curso de empreendimento para o setor da música realizado pela prefeitura).

Participou do Primavera Fest 2015 e 2016 com Merlín Producciones (evento com enfoque no meio ambiente); da “Fiesta del Libro y de la Cultura” com Comfenalco Antioquia; atuou nos Parques Comfama (Guatapé, Rio Negro, Tutucan, Arvi e La Estrella); Centro Cultural Moravia; Casa Teatro El Poblado; Teatro Casa Clown; Teatro La Hora 25; Servicio Nacional de Aprendizaje SENA e Hospital San Vicente em colaboração com a tradicional escola de música Canto Alegre. Abriu o show da renomada banda colombiana Aterciopelados realizado pela empresa EPM no marco do dia mundial do meio Ambiente 2016, no Parque de los Deseos.

No ano de 2018 participou do Carnaval Internacional das Artes e Festival ChikiFest em Barranquilla e na ilha de San Andrés, no Green Moon Fest. Em Bogotá participou do Escenario Movil de Idartes em SumaPaz; fez uma temporada no Teatro EL PARQUE (primeiro teatro latino americano especializado no público infantil); VI Feria del libro medio ambiental com a empresa LA CAR (responsável pela gestão meio ambiental da região de Cundinamarca); Festival Sorpresa (6o Encuentro Colombiano de la Canción Infantil) e também se apresentou em diversos jardins de infância e colégios da região.

Neste ano de 2019, OPA volta ao Brasil, adaptando todo o conteúdo num espetáculo bilíngue e educativo e a sua base está entre São Paulo e Minas Gerais.

BIOGRAFIA
Amarilis Vitale Cardoso (Brasilia, DF, 1980) é arquiteta. Aos 3 anos de idade começa seus estudos de violino e a partir daí passa pelo ballet, tap dance, bandas de rock e estudos de canto-coral.

Em Barcelona, Espanha, no ano de 2007, funda com sua irmã Marise Cardoso o duo NSISTA, onde produz e mixa as bases eletrônicas, canta e toca percussões.

Participaram de diversos festivais e salas como SOTX (Pequim, China); Rec Beat (Recife, Brasil); Festival de Teatro de Caracas (Venezuela); Latino Power (Bogotá, Colômbia); Universo Paralelo (Bahia, Brasil); Fusion Festival (Berlim, Alemanha); Iris Feest (Bruxelas, Bélgica); Alimentation Generale (Paris, França); Dim Teatre (Verona, Itália); OFFF Festival (Barcelona, Espanha); Festival Visa Pour la Image (França); Museu Salvador Allende (Santiago, Chile) entre outros.

Atualmente está lançando seu formato solista, projeto que leva seu nome AMARILIS. Com este formato se apresentou em diversas salas de Bogotá e Medellín, e lançou seu primeiro single, “Iande iaiko”, em maio de 2018.

Também é criadora do projeto O PLANETA AGRADECE, que desde 2010 vem trabalhando na Espanha, Brasil, Bélgica e Colômbia.

Vale ressaltar que OPA foi selecionado entre os 500 melhores projetos sócio - ambientais da
América Latina nos Prémios Latino América Verde 2016 de Guaiaquil, Equador.

domingo, 2 de junho de 2019

Oganilu - O Caminho do Alabê de Vitor da Trindade

RELEASE E IMAGENS

Oganilu, O caminho do Alabê, foi escrito nos anos de 2017 e 2018 e faz referência e reverência ao Ogan Alabê e tudo o que envolve este personagem que é o Mestre de Tambores da Orquestra dos Orixás, formada pelas vozes, pelo Gan, pelos atabaques e também pelo Xequerê.

Neste livro, focado especialmente nos Ogans do Ilê Axe Jagun, casa de candomblé que fica no Taboão da Serra, na Grande São Paulo vem contar um pouco da história e vida deste profissional do sacerdócio afrodescendente.

Colaborando- na desmistificação da religião, em sua relação com o leigo, e também no diálogo do Ogan com os seus parceiros de fé, buscando compreender sua vivência na sociedade tanto dentro como fora do Candomblé. Pois tanto para o Alabê como para as outras pessoas, trazemos aqui a abertura de um diálogo que pode trazer benefícios tanto ao iniciando e iniciado, como a aqueles que têm o Candomblé como objeto de estudo, ou simplesmente aos simpatizantes.

A música e a musicalidade dos Ogans é construtora da Música Popular Brasileira, moderna,
antiga e do futuro, e também com grande influenciamento sobre a música clássica europeia
criada no nosso país.

Este livro, seus bate-papos e palestras ilustradas, vão discutir estes vários pontos em seus
textos, apresentando a comunidade brasileira o Ogan Alabê sua virtuosidade e seu
conhecimento como sacerdote dos Orixás.

Sobre o Autor

Neto do renomado Poeta recifense Solano Trindade e filho da Artista Plástica Raquel
Trindade Vitor da Trindade é formado em música popular e mestrando em Etnomusicologia
pela USP, iniciando em 2019.

É profissional de música brasileira há mais de 40 anos, ensinando, e se apresentando como
performer e músico através de 04 continentes, incluindo a Ásia, África, Américas e Europa.
No Brasil apresenta-se tambem como palestrante e professor de cultura afro brasileira, em
espaços como o Masp e Sesc e universidades como Uniso, Usp e outros dentro e fora do
estado de Sã Paulo. Em todos estes trabalhos Trindade está sempre preocupado de manter
viva a cultura afro-brasileira, seguindo os passos de seus antepassados Raquel Trindade,
Margarida Trindade e Solano Trindade.

Vitor tem 07 discos próprios gravados, AYRÁ OTÁ, Vitor da Trindade e Carlos Caçapava
(2001), REVISTA DO SAMBA (2002), OUTRAS BOSSAS (2005), REVISTA BIXIGA
OFICINA DO SAMBA (2006), HORTENSIA DO SAMBA (2011), SAMBA DO
REVISTA(2014), OSSÉ, Vitor da Trindade (2015).

Oganilu, o Caminho do Alabê é seu primeiro livro.
Arte:
Cassimano
Revisão:
Luiz Carlos Teixeira de Freitas
Ilustrações:
Maria Trindade
Apoio cultural:
Agência Popular Solano Trindade

terça-feira, 28 de maio de 2019

Verso em Versos na Casa de Cultura Campo Limpo

Sábado, 15 de JUNHO de 2019 de 14:30 a 16:00
Local Casa de Cultura Campo Limpo
Rua Rua Aroldo de Azevedo, 100 - São Paulo
Ponto de referência Terminal Campo Limpo
Produção El Choq! Produções
MAIS INFORMAÇÕES
www.versoemversos.com.br

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Foto Coletiva - Comunidade Jongo Embu das Artes - Sesc Pompeia

Foi lindo!
Aconteceu Domingo, 26/05/2019 no Sesc Pompeia no projeto Territórios a Comunidade Jongo Embu das Artes
Producao El Choq! Produções

Foto Coletiva - Z'África Brasil - Sesc Pompeia

Tivemos a honra de produzir a celebração do Lançamento em Vinil duplo do álbum Antigamente Quilombos Hoje Periferia do grupo de rap Z'África Brasil.

Tivemos as Participações Especiais de Nalla - Lino Krizz - Thaide - Kamau

Agradecemos em espacial o Estúdio Traquitana
onde foi feito os ensaios e a Boia Fria Produções que cuido da imprensa.
Tudo isso aconteceu no projeto Territórios do Sesc Pompeia Sábado, 25 de maio de 2019
Salve para Fluxo Imagens e DiCampana Foto Coletivo

Aguardem as fotos e videos e VAMOS PARA AS PRÓXIMAS. aguardem

Vinicius Chagas

Biografia
Barra do Piraí, interior do Rio de Janeiro, ano de 1990. Nascia Vinicius Chagas.

A trajetória de Vinicius Chagas foi formada a partir da multiculturalidade brasileira, graças ao pai mineiro e à mãe baiana. Deu seus primeiros passos na música na cidade de Cosmópolis, interior do estado de São Paulo, ainda criança, tocando nas bandas da igreja e da cidade. Seu desenvolvimento e a afinidade com o saxofone o levaram a tocar com uma banda de Dixieland, chamada Russo Jazz Band, quando o gosto pelo jazz e suas vertentes foi crescendo cada vez mais. Então mudou-se para a capital São Paulo, onde cursou a Universidade Livre de Música (conservatório ULM), passando a ter aulas de instrumentos com Vitor Alcântara e Paula Valente e aulas de prática de conjunto com Sizão Machado e Roberto Sion.

Dono de inspirações ousadas, tem como referência grandes nomes do jazz: Charlie Parker, John Coltrane, Michael Bracker, Vinicius Dorin, dentre outros instrumentistas, intérpretes , arranjadores e compositores .

Já tocou com grandes músicos como Tony Tornado(BR), Bocato(BR), Zérró Santos(BR), Filo Machado(BR), Di Melo(BR) , Vox Sambo (Haiti), RandyBrecker (Usa) , Arismar do Espirito Santo (BR)  ,Felipe Lamoglia(Cuba ), Afrocidade(BR) , Chico Willcox (BR) , Igor Willcox (BR) , Cuca Teixeira (BR) , Wilson Teixeira (BR) , Jota P (BR) , Clayton Souza (BR) Cássio Ferreira (BR) , Rubem Farias (BR, Silas Freitas(BR) , Jonathan Vargas(BR) , Eliezer Inácio (BR) , Salomão Soares (BR), Thiago Alves(BR) e Adalto Dias (BR) .

Fez parte o projeto Chaiss na Mala , gravou os dois álbuns  e teve participação naco- produção dos mesmos.

Há três anos participa da banda Aláfiaonde gravouos álbunsCorpurae SP Não é Sopa , também participou de festivais no Brasil e Europa com a banda.

Há5 anos vem liderando o trabalho com seu Quarteto , consolidando  parcerias com músicos locais como : Fernando Amaro ( BR), Gabriel Gaiardo (BR) , Michel Leme (BR) ,Rodrigo Digão Braz (BR) e  Jackson Silva (BR)

Participa dos projetos ; Renato Alves Quinteto e Jazz na Kombi.

Em 2014 gravou seu primeiro álbum “ MomentStorm “ lançado no Jazz nos Fundos-SP em 2016.  E consolidando sua carreira solo em 2019  saiu do forno mais um álbum “War Zone “ que já está  disponível nas plataformas digitais.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Jongo Embu - Z'África Brasil projeto TERRITÓRIOS - Sesc Pompeia

Salve Salve família ! El Choq! Produções está participando da produção do projeto TERRITÓRIOS do Sesc Pompeia que vai acontecer dia 23 de maio até 26 de maio 2019.
Só show maravilhoso! Nós precisamente estaremos na missão das celebrações abaixo. VAMOOOO

* Sábado, 25 de maio de 2019 de 21:00 a 23:30
Territórios apresenta: Z'África Brasil e Banda Lançamento em Vinil duplo do álbum Antigamente Quilombos Hoje Periferia Participações Especiais Nalla - Lino Krizz - Thaide 

* Domingo, 26 de maio de 2019 de 18:00 a 21:00
Territórios apresenta Jongo Embu das Artes no Sesc Pompéia

#Elchoq 
#elchoqproducoes 
#agsolanotrindade 
#radiomixtura
#RedeSaoLuis



sexta-feira, 17 de maio de 2019

As Kunhãs

Trio feminino de forró 
com repertorio pra la de arretado.













Na levada do baião, xote, coco de roda, xaxado, arrasta pé, elas interpretam músicas e sucessos de grande artistas como Cecéu, Elba Ramalho, Anastácia, Marines, Glorinha, Dominguinhos, Luiz Gonzaga alem de outras musicas autorais.

Nossa Historia
Três mulheres artistas e forrozeiras que não se conheciam pessoalmente, mais flertavam através das redes sociais se uniram para fazer artes juntas.

Em 4 de outubro de 2018 finalmente se encontraram para tocar em um forró "Arrumadinho " na cidade de São Paulo e ai...ai...foi "amô" ao primeiro encontro, ali mesmo nasceram as Kunhãs.


Fazemos o que amamos com quem amamos e através do forró propagamos e valorizamos a arte e a força das mulheres.

Você sabe o que é Kunhã?

Giria cearense e também no dialeto Tupi (Kunhã e Cunhantã)
Femêa, menina, mulher profana, mulher faladeira, a língua que corre, mulher resistente, moça bonita, planta trepadeira